Facebook desiste de drone gigante que levaria internet a lugares remotos

Facebook desiste de drone gigante que levaria internet a lugares remotos

Revelado como um drone com a envergadura de um Boeing 737, o Aquila não vai mais cumprir a missão de levar internet a localidades remotas. Depois de quase três anos de desenvolvimento e testes, o Facebook resolveu cancelar o projeto. A sequência de problemas com a aeronave está por trás da decisão.

Facebook Aquila - voo

O drone fazia parte da Internet.org, divisão do Facebook que desenvolve projetos para levar acesso à internet a lugares isolados ou com infraestrutura precária. A companhia esperava fazer a aeronave enviar sinal a receptores no solo com um sistema de transmissão a laser. Painéis solares iriam garantir até 90 dias de voos ininterruptos.

Apesar de a ideia soar utópica, havia expectativas altas com relação ao projeto, principalmente depois de o Facebook ter anunciado, no ano passado, os primeiros voos bem-sucedidos do Aquila.

Porém, já naquela época, o clima era de frustração e incerteza. O Facebook alardeou os voos do Aquila, mas “esqueceu” de ressaltar que o primeiro deles resultou em uma colisão com o solo quando a aeronave tentou pousar. O segundo voo foi melhor, mas as hélices tiveram problemas e novamente houve danos no pouso, embora em menor proporção.

Emails obtidos pelo Business Insider indicam que, em 2017, o Facebook considerou redesenhar totalmente o drone, mas a proposta não avançou. A companhia também cogitou montar uma base para aeronaves do tipo no Novo México, mas as discussões sobre a reformulação do Aquila fizeram a ideia ser adiada e, agora, descartada.

As suspeitas de que o Aquila seria descontinuado surgiram no mês passado, quando Andrew Cox, líder do projeto, abandonou o posto. Ele comandava uma empresa especializada em drones que foi comprada pelo Facebook em 2014 por cerca de US$ 20 milhões. Nada mais natural, portanto, de que Cox assumisse a iniciativa.

Facebook Aquila

Com o fim do Aquila, as instalações que o Facebook mantinha em Bridgewater para tocar o projeto foram fechadas. Além disso, tudo indica que pelo menos 16 funcionários que trabalhavam ali foram desligados da companhia.

O Facebook dá entender, porém, que não desistiu da ideia de oferecer acesso à internet em localidades remotas. A ideia do drone foi abandonada, mas o desenvolvimento de outros projetos de conectividade continua.

Talvez o Facebook ainda consiga usar aeronaves para acesso à internet, mas não por conta própria: em novembro de 2017, a companhia fechou um acordo com a Airbus para desenvolver esse tipo de equipamento. A parceria ainda está de pé.

Referência: https://tecnoblog.net/248938/fim-drone-aquila-facebook-internet/

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *